sexta-feira, 1 de junho de 2012

Caso 23



Tomás é um homem jovem, bonito e atraente, do tipo que não encontra dificuldade para aventurar-se amorosamente. Sendo um médico, possui uma capacidade financeira que lhe aumenta o charme, permitindo-se a colecionar histórias de quase amor. Até ao dia, porque há sempre um dia, na maior parte das vezes de noite, que a vida o surpreende, que o destino lhe explica que o maior paradoxo da vida é o paradigma, conhece Teresa, com quem coleciona afinidades e começam a partilhar uma vida, na mesma casa, na mesma cama, onde são felizes nas suas parecenças e dissemelhanças.

Quando a troika madrasta que ataca o nível de vida, tem uma daquelas tristes ideias brilhantes; conhecem Sabina, criam afinidades e, poucas semanas depois, convidam Sabina a viver com eles, partilhando em conjunto todos os encargos da casa. E tudo correu muito bem, até ao dia que correu mal. Curiosamente no dia que Tomás e Teresa comemoraram dois anos de vida em comum, com vários garrafas de Tinto dos Grous Moon Harvest 2007.

Sabina chegou a meio da comemoração. E bebeu com eles. E encheu-se de calores. Porque o vinho é surpreendente como as pessoas. E enquanto Teresa se deixou perder no sonho dos juntos, Sabina achou que tinha demasiada roupa, decotou-se e deixou descontrolado o pobre do Tomás, que aceitou o seu fardo de ser homem e deu por si no quarto que não era o seu, copulando com Sabina. E, infelizmente, de quando em quando, tinha saudades e regressava ao quarto, onde Sabina o recebia... de braços abertos.

Como a ignorância é tantas vezes o elixir da felicidade, Teresa convenceu-se que era feliz mais incompleta e quis ter um filho, apesar de ser estéril. E engendrou uma ideia brilhante. Realizou um contrato com Genoveva, uma jovem esbelta e tímida, embora com um grave problemas de flatulência, em que esta iria engravidar de Tomás, para, após o parte, entregar ao casal a criança, recebendo para tal 25.000 Euros. Temendo que Genoveva tivesse um ataque de maternidade, o contrato, tinha uma cláusula penal de 15.000, que Genoveva teria de pagar ao casal, em caso de incumprimento.

No dia que a criança nasceu, Teresa teve o mau senso de chegar a casa inesperadamente e encontrou Tomás a fazer o coito com Sabina e desmaiou. Quando acordou, encontrou o mundo de pernas para o ar. Sabina, consumida de remorsos, realizou com Jeremias um contrato em que ele a atou a uma cruz e enquanto a chicoteava para tentar desta forma a sua penitência.
Devastada com a traição, Teresa, que nunca trabalhou, quer ficar com a casa, com o carro, com as joias, com o cachorro e tudo o mais que foi comprado durante os quatro anos que viveu com Tomás.

2. A casa onde o casal morou foi arrendada por Tomás há dez anos. Teresa quer lá ficar a morar. Recorre a si, para intentar processo judicial para obter a mesma. Tenha compaixão por Teresa e faça a necessária petição inicial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário