sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Caso 35



Ela não se recorda do dia. Não que fosse demasiado nova para ter memórias, mas há dias que se desvanecem da história da gente. Mas tinha a certeza que tinha sido um dia frio com chuva, porque o sol se tinha recusado a estar presente, naquela triste manhã em que Cinderela se despediu de seu pai, um homem profundamente rico, que morrera de saudade.
O pai da Cinderela quando pressentiu que a vida se esfumava, casou com Lady Tremaine, que o seduziu com falsos encantos, exibindo-lhe qualidades que não tinha, convencendo o velho comerciante que seria uma verdadeira mãe para a nossa heroína; mas ainda o corpo jazia no caixão e já a malévola Tremaine mandou Cinderela para o sótão, retirou-lhe o ipad, iphone e iMac, mais as roupas e os colares e os perfumes, obrigando-a limpar o quarto, a sua wc, a colocar a mesa e lavar a loiça; como se não fosse pouco, proibiu-a de sair à noite, para desgosto imenso de Cinderela, que acabara de completar quinze anos.
Anastasia e Drizella as maléficas irmãs, ambas com cerca de trinta anos, filhas de Lady Tremaine passavam o tempo a dizer que Cinderela era feia, burra, que era uma porca e uma pêga, que cheirava mal, que os pais tinham falecido por culpa dela, que não servia para nada, que era uma inútil e uma badalhoca. E o pior, foi um dia em que lhe chamaram gorda!
Anastasia vivia em casa da mãe, com um sensual finalista de serviço social, que depois de terminado um longo namoro, estava pronto para amar e ser amado. Drizella casou com o marido, que tinha 62 anos, mas corpo de 59, curiosamente muito rico; quando percebeu que ele queria doar ao filho um palacete, recusou permitir que ele o fizesse. Antes, Drizella comprou um Ferrari, sem o pagar! Inconformado, o filho do marido de Drizella, rapaz enérgico de 15 anos, adulterou os travões sendo que por isso ela teve um acidente, em que perdeu todos os dentes, sendo que, o marido ficou cego e mudo, uma espécie de marido perfeito. Talvez por isso, ela começou a dançar nua para satisfação de outros homens.
Cinderela vivia triste, sufocada em casa; mas, na noite de Carnaval, finalmente conseguiu sair: porque a madrasta lhe tinha retirado as melhores roupas, falou com uma amiga que estuda serviço social, que lhe fez a caridade de lhe emprestar roupa, arranjar o cabelo, depilar e maquilhar, emprestar perfume e foram juntas a uma festa. E foi lá que conheceu Christian Grey, o temido presidente de uma grande empresa. Logo nessa noite, esgueiraram-se do bar e foram para uma rua escusa, onde, no umbral de um armazém, ele lhe roubou um beijo, daqueles que dura toda uma vida!
Encantado por ela, Christian Grey ofereceu-lhe um iMac, um carro descapotável discretamente vermelho e depois de uma viagem de helicóptero até casa dele, desvirginou-a!
Quid Juris

Nenhum comentário:

Postar um comentário